Ministério do Esporte inicia curso de Avaliação de Riscos para Estádios na FBF

Por Comunicação FBF, 03 de Dez 2018 - 10h52

Foi aberto na manhã desta segunda-feira (3), em Salvador, o Curso de Avaliação de Riscos para Estádios de Futebol. O evento é realizado pelo Ministério do Esporte, em parceria com a Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e apoio da Federação Bahiana de Futebol.
 
Até a próxima quinta-feira (6), o curso reunirá, no auditório da entidade, representantes dos órgãos envolvidos na segurança e gestão dos estádios nos estados da Bahia, Paraíba, Sergipe, Alagoas e Espírito Santo. Na oportunidade, também serão capacitados Policiais Militares, delegados das federações de futebol e gestores.

O projeto tem como objetivo criar um protocolo de atuação das forças policiais especializadas em segurança nos estádios. Para as Federações de futebol, servira para que atuem de maneira integrada, sistematizada, padronizada e eficaz no combate à violência nas arenas de futebol, com vistas aos jogos do Campeonato Brasileiro, bem como para Copa América 2019, a ser disputada no Brasil.

 

Quem ministra o curso é o coordenador geral de Governança, Gestão e Segurança em Eventos Esportivos (Coges) do Ministério do Esporte, o ex-árbitro da FIFA e coronel da Polícia Militar do Rio de Janeiro, Aristeu Leonardo Tavares. "Primeiro é um prazer estar mais uma vez aqui na Federação Bahiana de Futebol, desta vez em nome do Ministério de Esportes. Das outras vezes estive aqui como árbitro, instrutor e presidente da Comissão de Árbitros da CBF, e sempre fui bem recebido, com fialguia, educação, respeito e muitoo carinho pela FBF, que tem como presidente Ednaldo Rodrigues e, a partir de meados de janeiro do próximo ano, será presidida pelo Ricardo Lima, a quem eu desejo êxito na missão, à frente deste importante cargo do futebol baiano".

Sobre os trabalhos realizados nesta segunda-feira (3), Aristeu explicou que após a abertura do evento, ele realizou uma apresentação do que é o projeto. "Como nós chegamos até aqui, o que não foi uma tarefa muito fácil. Nós tivemos que fundamentar este projeto que eu procurei com a minha equipe trazer do Comitê Rio 2016, onde eu trabalhei três anos ajudando na preparação da segurança dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos. Então, nós não fazemos nada sem avaliação de risco. Após a contextualização do Ministério do Esporte, que eu tive a honra de fazer, o instrutor Davi Bernardes, da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) assumiu e passou toda a metodologia, toda a questão conceitual do projeto, que será encerrada amanhã (4), pela manhã. E à tarde começa a parte mais prática do curso, que é realizar discussões com cases, com jogos que já ocorreram, tentado projetar para o futuro, amarrando tudo aquilo que a situação de risco tem no seu bojo".

Aristeu Tavarez dicorreu também sobre a questão da torcida única nos estádios, como ocorre atualmente nos clássicos aqui na Bahia. "Eu não posso falar à distância do que ocorre na Bahia ou Pernambuco, A realidade do Rio de Janeiro não é assim. Lá nós temos quatro times de maior parte, aqui nós temos dois e Pernambuco tem três. Eu entendo que se há uma solução momentânea (de estabelecer torcida única) é porque há uma necessidade. Porém, eu entendo também que todos nós, sociedade, Federação, todos envolvidos com a segurança; ordenamento urbano que é muito importante, fundamental, nós convidamos representantes de município para estarem presentes aqui; tudo isso e com o apoio do Ministério dos Esportes, que nós estamos tendo aqui, conseguiremos mudar o comportamento das pessoas punindo com mais severidade aqueles que extrapolaram para que a gente volte a ter duas torcidas no estádio, que é o grande glamour do futebol".

Aristeu Tavares realizou a abertura do Curso


ABERTURA - A abertura do evento contou com a presença do vice-presidente da FBF, Ricardo Lima, que assumirá o comando da entidade a partir de 16 de janeiro de 2019. Além do dirigente, participaram da cerimônia autoridades da Polícia Militar da Bahia, Ministério do Esporte e Agência Brasileira de Inteligência (ABIN).

Davi Bernardes, da ABIN, passou o conceito do projeto


“Sentimo-nos honrados em sediar o curso, que reúne diversos órgãos. É um evento de grande importância, pois serão discutidos planejamentos de seguranças para nossos estádios, com vistas ao combate à violência entre torcidas. É uma iniciativa muito relevante do Ministério do Esporte para promover a paz nos estádios e garantir a segurança dos torcedores”, disse Lima.

* Matéria atualizada às 17h58

NOTÍCIAS MAIS LIDAS

ENCONTRE-NOS NO FACEBOOK

SIGA-NOS NO TWITTER

ENQUETE